Será a última Prosa da Casa, que faz parte do Novembro Resistência na Casa Manga com Leite, em reverência a Consciência Negra e pela unidade contra o fascismo: Ninguém solta a mão de ninguém
Irmãs Mirabal, as mariposas da liberdade

A terceira Prosa da Casa acontecerá no dia 28. Seu tema é Pela Vida das Marielles, Cláudias, Marias e Clarices. A ideia é promover um debate por ocasião da Semana Mundial para Eliminação da Violência Contra as Mulheres, com foco na violência sexual, familiar, social, policial, trabalhista e política contra as mulheres, especialmente as negras.

As Prosas da Casa Manga com Leite fazem parte do Novembro Resistência, em celebração à Consciência Negra e um chamamento à unidade contra o fascismo. A realização é em parceria com a Unegro (União de Negras e Negros pela Igualdade) do Distrito Federal.

A semana acontece tendo como referência o dia 25 de novembro, que lembra o assassinato brutal em 1960 das irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas por “Las Mariposas”. Elas foram eliminadas a mando do ditador Rafael Leônidas Trujillo, da República Dominicana.

Para esta Prosa, a Casa Manga com Leite convidou mulheres dirigentes de entidades feministas e LGBTs e de alas partidárias que empoderam as mulheres. Nosso propósito é também reverenciar a memória de mulheres brasileiras lutadoras e vítimas da violência que tem vitimado especialmente as pobres e negras. Margarida Maria, Cláudia e Marielle presentes!

Em outra vertente queremos lembrar as esposas e mães que sofreram com os horrores das ditaduras, evocando a luta para que outro regime autoritário não se estabeleça em nosso país e evitemos que outras Marias e Clarices venham a chorar.

Já estão confirmadas dirigentes de entidades como a Unegro (União de Negras e Negros pela Igualdade), do Movimento Negro Unificado (MNU), da Negritude Socialista, da União Brasileira de Mulheres (UBM), do PSB, do PSOL, do PCO, do PT, do PC do B e da Rede.

Música, Comes e Bebes

Para compor o cenário Música, comes e bebes, a cantora e compositora Marina Andrade vai apresentar músicas de sua autoria e o melhor da MPB. A chef Leila Negalize, do Ewe Bistrô Etnogastronomia, preparará um de seus deliciosos pratos com forte levada afrobrasileira.

Outras prosas

No Novembro Resistência, a Casa Manga com Leite realizou outras duas Prosas da Casa. A primeira foi no dia 8, com o tema Eleições e Perspectivas Políticas num Ambiente de Ameaça à Liberdade, aos Direitos e à Vida. Nesta Prosa foi debatido o papel dos partidos progressistas e democratas e dos movimentos sociais nas eleições de outubro último, a situação dos negros, a resistência e o futuro do Brasil, dos movimentos sociais e do povo.

Os prosadores foram Marivaldo Pereira, militante do PSOL e candidato a senador nas últimas eleições; Renan Rosa de Arruda, membro da Coordenação Regional do PCO; Conceição Silva, da coordenação nacional da Unegro (União dos Negros pela Igualdade); Rosimeri Mello, do Movimento Popular Socialista do PSB; e Geovany Costa Silva, coordenador geral do MNU (Movimento Negro Unificado). A mediação foi de Santa Alves, secretaria de Igualdade Racial do PC do B e presidente da Unegro do Distrito Federal.

A segunda foi sobre O Papel do Negro nas Lutas Revolucionária e Institucional’, Prosa da Casa ocorrida no dia 13, com o diplomata Juan Pozo, primeiro-secretário da Embaixada de Cuba. Juan fez um panorama sobre a Revolução Cubana e a participação dos negros, para em seguida versar sobre o atualmente momento da luta dos cubanos por sua soberania e contra o bloqueio econômico, financeiro e comercial dos Estados Unidos contra a ilha caribenha.

Mugunzê da Resistência

O Mugunzê da Resistência, uma Festa de Preto foi a terceira atividade do Novembro Resistência e aconteceu no dia 22, próximo ao 20 de Novembro, o dia da morte de Zumbi dos Palmares, estabelecido como data nacional da Consciência Negra. É o dia principal das lutas dos negros contra a opressão e a in justiça que perduram até hoje como nefastas heranças escravocratas.

O Mugunzê da Resistência, uma Festa de Preto foi Um encontro entre a África e o Brasil, com culinária, música, dança e artesanato. Mugunzê significa “Festa de Preto” em idioma kimbundo, uma das etnias que compõe o povo angolano. O objetivo foi mostrar como a influência africana é tão rica e importante na formação do nosso povo.

Para tanto, tivemos a jornalista, documentarista e professora universitária angola Marisol Kadiegi produzindo um dos pratos típicos de Angola e a apresentação do Tambor de Crioula Flores de São Benedito, uma manifestação cultural do Maranhão de origem africana.

O Mugunzê da Resistência foi uma das maiores festas já realizadas pela Casa Manga com Leite e terá outras edições em breve. Dezenas de pessoas prestigiaram o evento e desfrutaram de uma parte de nossa cultura africana e afro-brasileira.